Tristeza

(Dedicado para aquele que não vai chegar)

(por Márcio Kazuo Teramoto)

A TRISTEZA DO BERÇO VAZIO: SOBRE A DOR DE PERDER UMA GRAVIDEZ ...

Dor maldita que não sai da alma.

Punhal que teima em ferir o coração.

Me leve, me carregue para longe desta dor.

Como me curar se vivo ainda a doença?

Nada mais é colorido, nada mais é música.

Tudo é escuro, sem som, só dor.

Pedaço de mim arrancado a força.

Como se pode amar tanto alguém que não conhecemos?

Que não trocamos palavras ou afagos?

Só posso imaginar sua voz e seu sorriso.

Como pode ir embora sem que eu te conhecesse?

Sua voz, seu sorriso, seu choro, seu rosto?

A minha voz conhece bem, consegue ouvir.

Os tantos eu te amo que falei perto de ti.

E eu? Como fico?

Sol nascendo e eu imagino você ao meu lado.

Sorrindo e apontando o céu.

Imaginando formas nas nuvens.

Sentindo o perfume das flores e você me dizendo:

“- Como cheira bem”

Olho para o lado e estou só.

Partir sem ter chegado.

Me deixando a imaginar quantas travessuras você faria.

A mim, só me resta o choro contido.

O coração despedaçado.

E uma imensa saudade de quem eu não conheci.

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Um comentário em “Tristeza

  1. Algumas saudades nascem do amor e, por tanto amar, se veste da sacralidade.
    Que Ser abençoado aquele que, ainda sem nascer, recebe todo o amor possível.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: