Blog

As baixezas humanas guiam os políticos

“O homem especula por baixo sobre seu semelhante. Aquele que se intitula político realista só tem por reais as baixezas humanas, única coisa que considera confiável: ele não trabalha com a persuasão, apenas com a força e a dissimulação.” (Robert Musil) Queremos acreditar que os políticos são servidores públicos, que são funcionários da nação. NãoContinuar lendo “As baixezas humanas guiam os políticos”

O inconformismo é transformador

É incrível, mas há empresas que ainda tratam seus trabalhadores como “empregados”. Etimologicamente, em latim (implicare), emprego significava juntar. O “empregado” era “mais um” a se somar num empreendimento. Algo indistinto, normalizado, braços; a ser vigiado e controlado. O que tinha a fazer já estava definido; nada mais era permitido; seria uma violação. Uma usurpaçãoContinuar lendo “O inconformismo é transformador”

O cérebro pode chegar a uma explicação sobre si mesmo?

A ciência não tem verdades absolutas nem permanentes. Todas as teorias são provisórias. Acho que os cientistas já concordam com isso. A impermanência é a constante. A ciência parece ser vítima de seus sucessos e de suas limitações. Thomas Kuhn argumentava que as teorias científicas modernas não são mais verdadeiras do que as teorias queContinuar lendo “O cérebro pode chegar a uma explicação sobre si mesmo?”

O filósofo é um espião do ser

A consciência é a lembrança do Eu, ou o constitui? Fazendo uma analogia: quando observamos as partículas, elas se comportam como “partículas”; quando não estamos observando, agem como “ondas”. Uma multidão: se observamos, vemos pessoas. Se não, comporta-se como onda, manada. Segundo Mendo Henriques e Nazaré Barros, filósofos, “a consciência é muito diferente do Eu:Continuar lendo “O filósofo é um espião do ser”

Esperançar é ir atrás, é não desistir.

Amar quem temos, a pessoa com quem vivemos, não é comum. A maioria lamenta – sente-se “infeliz” – por não ter ao lado a pessoa que “nos falta”, por quem alguns se “apaixonam”. Outros não admitem “perder” o que têm, embora não haja amor nessa relação, só posse. Schopenhauer, que gostava de colocar água noContinuar lendo “Esperançar é ir atrás, é não desistir.”

“Adormecida em uma noz, encontra-se o nascimento de mil florestas.”

Um amor a Deus fundamentado na alegria; comunhão espiritual do ser humano e o mundo: esse era Ralph Waldo Emerson, o grande filósofo transcendentalista, junto a seu amigo, Henry David Thoreau. Alguns de seus aforismos são relevantes: “Foi um grande conselho o que ouvi certa vez, dado a um jovem: ‘Faça sempre o que tiverContinuar lendo ““Adormecida em uma noz, encontra-se o nascimento de mil florestas.””

“Uma poça … que viveu alguns segundos”

Tempos nebulosos, sem memória, descompensados, extremados, centrífugos … requerem poesia. Ana Martins Marques é poesia. EM BRANCO Dizem que Cézannequando certa vez pintou um quadrodeixando inacabada parte de uma maçãpintou apenas a parte da maçãque compreendia. É por issomeu amorque eu dedico a vocêeste poemaem branco. HISTÓRIA “Tenho 39 anos. Meus dentes têm cerca deContinuar lendo ““Uma poça … que viveu alguns segundos””

O elo perdido?

Para Zecharia Sitchin, evolução e criacionismo colidem. Ele passou a vida argumentando que os seres humanos evoluíram com uma pequena intervenção genética de astronautas antigos que vieram para a Terra e precisavam de trabalhadores para minerar ouro e trazer de volta a Nibiru , um planeta que ainda não reconhecemos. Como não tenho como dizerContinuar lendo “O elo perdido?”

Carregando…

Ocorreu um erro. Atualize a página e/ou tente novamente.


Siga meu blog

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: