Contos Salva-Vidas

Contos Salva-Vidas (Rivka Galchen) “Dez jovens decidem entrar em quarentena longe de Florença. O ano é 1348, época da peste bubônica. Os infectados desenvolvem protuberâncias na virilha ou nas axilas, seguidas de manchas escuras espalhadas pelo corpo. Dizem que alguns aparentam saúde no café da manhã, mas, lá pela hora do jantar, já estão dividindoContinuar lendo “Contos Salva-Vidas”

Somos colônias

Somos apenas 10% humano. Para cada célula de nosso corpo existem nove células não humanas que nos colonizam: bactérias, fungos, vírus e arqueias. Somos mais “eles” do que “nós”: só no intestino abrigamos cerca de 100 trilhões deles! 50 milhões deles só na ponta de um dedo, por exemplo. Cerca de 4 mil espécies diferentesContinuar lendo “Somos colônias”

Epigenética

Nossos hábitos de vida podem influenciar nosso DNA. Mas, as cerca de 50 trilhões de células que nos compõem, com seus genes, não controlariam nossa vida? Não há um determinismo genético? A vida das células não teria de ter um propósito? O DNA não deveria controlar a vida biológica, já que nossas características são asContinuar lendo “Epigenética”

Edição genética

No ano passado, duas mulheres – Emmanuelle Charpentier e Jennifer Doudna – ganharam o Nobel de Química, pela descoberta da tesoura genética ou molecular, conhecida como CRISPR/Cas. Segundo o júri, essa premiação objetivava recompensar “o desenvolvimento de um método de edição de genes que contribui para o desenvolvimento de novas terapias contra o câncer eContinuar lendo “Edição genética”

Por medidas efetivas de combate à pandemia

Economistas e banqueiros renomados divulgaram uma Carta Aberta neste domingo (21/03/21) em que exigem dos governantes brasileiros medidas efetivas contra o avanço do coronavírus no país. Entre os nomes que referendam a carta estão os ex-ministros da Fazenda Pedro Malan, Maílson da Nóbrega, Marcílio Marques Moreira e Ruben Ricupero, e os ex-presidentes do Banco CentralContinuar lendo “Por medidas efetivas de combate à pandemia”

A economia e a morte

A vida ou a economia! Muitos ainda têm esse dilema entranhado no consciente a partir de arquétipos inconscientes. Poderosos dizem: a economia garante a vida! Se pensarmos um pouco veremos que é o contrário. Para ilustrar o raciocínio de que o sustento econômico é a garantia da vida, apela-se para as desigualdades sociais, que seContinuar lendo “A economia e a morte”

Nano

A nanotecnologia está conseguindo atrair conhecimentos estanques numa convergência (holística?) entre as várias especialidades: eletrônica, computação, física, matemática, química, materiais, engenharias, biologia, agricultura, medicina … É a nanociência. Muita coisa dela se espera. Esclarecendo: nano diz respeito à natureza na sua dimensão invisível diretamente. Refere-se a coisas expressas em bilionésimos de metro: Nano = umaContinuar lendo “Nano”

We are hiring!

O vice-presidente, Mourão, atribuiu à população brasileira responsabilidade sobre o quadro que o Brasil enfrenta: “A nossa população não gosta de respeitar regras, não é da natureza do nosso povo. O nosso povo é um povo mais libertário, gosta de circular pelas ruas e de fazer festa. Em um momento em que se tem queContinuar lendo “We are hiring!”

A morte não é um fracasso

Esclarecendo: lembrar a naturalidade da morte não significa encara-la como banalidade, como autoridades têm feito. A morte “natural” é normal. Aquela provocada por descaso é crime. Mas, e o cuidado extremo, que procura prolongar a vida quando esta – dignamente – já se foi? Quando paciente e médico correm atrás de uma ilusão? Devemos, mesmo,Continuar lendo “A morte não é um fracasso”

A gripe americana

A chamada Gripe Espanhola começou nos EUA. Especificamente, numa unidade militar do Kansas; viajou para a Europa durante a I Guerra Mundial levada pelas tropas americanas e de lá se transformou numa pandemia. A partir do primeiro surto, em janeiro e fevereiro, ela desapareceu daquele local. Se os pacifistas tivessem prevalecido, e os EUA nãoContinuar lendo “A gripe americana”