A sombra autoritária

O regime autoritário que ora se desenha não tem um pensamento a fundamenta-lo, a não ser que se queira considerar os impropérios, recheados de palavrões, de Olavo de Carvalho. O Estado Novo, por sua vez, teve o Oliveira Vianna. Um “pensador” que acreditava na hierarquia de raças, no darwinismo social e, na eugenia. Defendia oContinuar lendo “A sombra autoritária”

A ciência não é a verdade; a não-ciência é mentira

Karl Popper, embora luterano, era de origem judia. Saiu de sua Viena para escapar do nazismo. Na sua juventude, Viena era uma cidade multicultural, multirracial, cosmopolita, de efervescente criatividade literária e artística, espírito crítico e intensos debates intelectuais e políticos. Era a cidade mais culta e livre da Europa. Daí deve ter nascido sua ideiaContinuar lendo “A ciência não é a verdade; a não-ciência é mentira”

Progresso contínuo

Steven Pinker defende que a espécie humana nunca esteve tão bem e, isso seria devido aos valores do Iluminismo europeu do século XVIII. Ele glorifica a abordagem neoliberal e tecnocrática predominante como solução dos problemas do mundo: foi a única que já funcionou e vai continuar conduzindo a humanidade em uma trajetória triunfante. A ciênciaContinuar lendo “Progresso contínuo”

O caminho é algo adaptável, móvel e flexível

Falando do Tao. A natureza do Tao é fluida, móvel e está em constante transformação. Aquele que se une ao Tao valoriza a fluidez, adapta-se às mudanças da vida, aceita o novo e desapega-se do passado. “Mas, como conseguir essa mobilidade, se estamos constantemente nos fixando, se às vezes nos prendemos ao conhecido mesmo queContinuar lendo “O caminho é algo adaptável, móvel e flexível”

“Dentre todos os males, o pior de todos é quando resolvemos mudar nossos defeitos.” (Sêneca)

“Cultive o espírito porque obstáculos não faltarão.” (Confúcio) Alberto Manguel pergunta: “Porque ler Sêneca por exemplo? Entre muitas coisas, para nos consolarmos com o que os alemães chamam ‘Schadenfreude‘, essa espécie de enviesada alegria de descobrir que os outros, nossos antepassados, também não foram felizes e que, nas épocas remotas da cultura clássica, a vidaContinuar lendo ““Dentre todos os males, o pior de todos é quando resolvemos mudar nossos defeitos.” (Sêneca)”

“Felizes as nações que não esperaram que revoluções lentas e vicissitudes incertas fizessem do exceder-se do mal uma norma para o bem …” (Beccaria)

Cesare Beccaria era um marquês. Porém, era um pensador – um iluminista. Não se acomodou ao status quo, que favorecia aos aristocratas. Pregou a igualdade dos criminosos responsáveis pelo mesmo crime. Que se lhes aplicasse a mesma pena, independentemente da condição social. “Sejam aplicáveis as mesmas penas às pessoas da mais alta categoria e aoContinuar lendo ““Felizes as nações que não esperaram que revoluções lentas e vicissitudes incertas fizessem do exceder-se do mal uma norma para o bem …” (Beccaria)”

“As coisas desfazem-se em pó e as ideias ficam” (Platão)

Plotino (205-270 d.C.) foi um propagador das ideias platônicas. Influenciou o pensamento cristão, islâmico e judaico. Entre os que foram por ele influenciados temos pensadores do Renascimento e, também, teólogos. Exemplos: Agostinho, Dionísio Pseudo-Areopagita, Gregório de Nazianzo, Gregório de Nissa, Boécio, Scoto Erígena, Alberto Magno, Tomás de Aquino, Dante Alighieri, Mestre Eckhart, João da Cruz,Continuar lendo ““As coisas desfazem-se em pó e as ideias ficam” (Platão)”

Consiliência

O físico e historiador Gerald Holton cunhou a expressão ENCANTAMENTO JÔNICO, que considera a unidade das ciências; uma convicção de que o mundo é ordenado e pode ser explicado por um pequeno número de leis naturais. Einstein tinha esse ‘encantamento’. A referência é aos chamados filósofos pré-socráticos que habitaram a Jônia, província grega na costaContinuar lendo “Consiliência”

O universo tende para o homem?

“Penso que a tarefa do século vindouro, perante a mais terrível ameaça já conhecida pela humanidade, vai ser a de reintegrar os deuses.” (André Malraux) Newton (1643-1727) acreditava que o universo seria uma imensa máquina composta por partículas materialmente inertes, submetidas a forças cegas. A partir de um pequeno conjunto de leis físicas, toda aContinuar lendo “O universo tende para o homem?”

“Agora vejo – este mundo é transitório.” (Karna, no Mahabharata)

Muitas pessoas realmente acreditam que seremos imortais nas próximas décadas:  nem precisaremos de um corpo ou de um cérebro para existir, já que nossas consciências “viverão” em redes de computadores. A tal “singularidade” está à porta. Há a criônica, o processo de preservar — em baixa temperatura — uma pessoa que não pode mais serContinuar lendo ““Agora vejo – este mundo é transitório.” (Karna, no Mahabharata)”