O martírio dos sete irmãos

Em 2 Macabeus, conta-se a história de uma mãe que presenciou o martírio e morte de seus sete filhos. Não há registro de seu nome. O rei que ordenou essas mortes foi Antíoco IV Epifânio, da dinastia Selêucida, que governou a Síria entre 175 a.C. e 164 a.C.  Ele era descendente de Seleuco, um dosContinuar lendo “O martírio dos sete irmãos”

Os dilemas de Frei Vicente

“O dia em que o capitão-mor Pedro Álvares Cabral levantou a cruz, era 3 de maio, quando se celebra a invenção da Santa Cruz, em que Cristo Nosso Redentor morreu por nós, e por esta causa pôs nome à terra, que havia descoberta, de Santa Cruz, e por este nome foi conhecida muitos anos: porémContinuar lendo “Os dilemas de Frei Vicente”

“…elogiam a clareza de composições medíocres”

17 de dezembro de 1770. Ludwig van Beethoven, segundo filho de Johann van Beethoven e Maria Magdalena Keverich Leym, é batizado em Bonn. Provavelmente, nasceu no dia anterior, 16 de dezembro. Na próxima quinta-feira, portanto, o mundo comemorará os 250 anos de nascimento desse gênio. Tenho escrito sobre esta data, porque admiro muito sua obra.Continuar lendo ““…elogiam a clareza de composições medíocres””

“Os que se dedicam à filosofia são homens que se estão preparando para morrer”

“Pétalas voam Todas elas fazem o Galho mais velho” (Yosa Buson, 1716-1783) Em Fédon, Platão insinua que a morte não é nenhum ponto-final catastrófico. Ela seria um ponto extraordinário de virada que leva a um ser superior. Ela aproximaria a alma do “invisível”, do “divino”, do “racional” e do “uniforme” que, como o imutável, permaneceContinuar lendo ““Os que se dedicam à filosofia são homens que se estão preparando para morrer””

O homem-rã

Há 1026 anfíbios identificados no Brasil. Desses, 70 (anuros) foram descritos por uma só pessoa: Werner Bokermann. “Nos seus 65 anos de vida, Werner descobriu em média mais de uma espécie de anfíbio por cada ano vivido”, registra Luiz Fernando de A. Figueiredo. Bokermann nasceu em Botucatu, São Paulo, em 1929 e faleceu em 1995.Continuar lendo “O homem-rã”

Similitudes

A MENTIRA OFICIALIZADA (…) O governo brasileiro por intermédio do seu primeiro magistrado não se peja de mentir, de ilaquear a boa-fé do povo, ministrando-lhe informações falsas, revoltantemente mentirosas, quando os próprios fatos ao alcance de todos os cidadãos se encarregam de dar-lhe solene desmentido. (…)” O texto acima não é de nossos dias; éContinuar lendo “Similitudes”

“Abraçada à pipa/ A menina/ Em sono profundo”

“Do rosto manter Afastadas as moscas Só por enquanto … A noite irrompe e não me resta mais nada a fazer do que – por mais que me pareça desprovido de sentido – umedecer, com a água de uma jarra ao lado do leito de meu pai, os seus lábios. A luz do dia vinteContinuar lendo ““Abraçada à pipa/ A menina/ Em sono profundo””

O budismo e a visão ambiental

“A educação tem a ver com o processo do viver, não com a preparação para uma vida futura.” (John Dewey) O budismo não apresenta “verdades”, ao contrário de tantas religiões. Oferece um “veículo” para a “continuidade”, considerando que é impossível que alguma coisa acabe; ela muda, sempre. Nada é estável, tudo é impermanente e estáContinuar lendo “O budismo e a visão ambiental”

Fitopesticidas

O Nim tem a capacidade (sementes, frutos, folhas e cascas) de fornecer substâncias para o desenvolvimento de produtos contra a manifestação de pragas. Seus extratos impedem ou inibem a atividade alimentar dos insetos. É recomendado, principalmente, para o controle de moscas-brancas, tripes (“verme da madeira”), cochonilhas, lagartas e besouros. É biodegradável e não tóxico paraContinuar lendo “Fitopesticidas”

Maria Rita Kehl: A mínima diferença (1992)

Há cem anos não se fala em outra coisa. O falatório surpreenderia o próprio Freud. Se ele criou um espaço e uma escuta para que a histérica pudesse fazer falar seu sexo, num tempo cuja norma era o silêncio, o que restaria ainda por dizer ao psicanalista, quando a sexualidade circula freneticamente em palavras e imagens,Continuar lendo “Maria Rita Kehl: A mínima diferença (1992)”