A imperfeição é nosso paraíso

“Mesmo que esta simplicidade completa Pudesse afastar todo tormento, ocultar Esse composto perverso e vital, o eu, Fizesse dele coisa nova num mundo De água clara, branco e nítido, ainda assim Seria preferível, necessário, mais, Mais que um mundo de neve e cheiros brancos. Haveria ainda a consciência inquieta: Daí a vontade de fugir, voltarContinuar lendo “A imperfeição é nosso paraíso”

“O poema tem que resistir à inteligência, até quase conseguir”

“Não há mudança de morte no paraíso?A fruta madura nunca cai? Ou faça os ramosPendure sempre pesado naquele céu perfeito,Imutável, mas tão parecido com nossa terra perecendo,Com rios como o nosso que procuram maresEles nunca encontram, as mesmas margens recuandoQue nunca toque com angústia inarticulada?Por que colocar a pera nas margens do rioOu temperar asContinuar lendo ““O poema tem que resistir à inteligência, até quase conseguir””