“O imortal no mortal é o seu Nome” (Aurobindo)

“Sendo Jesus interrogado pelos fariseus sobre quando viria o reino de Deus, respondeu-lhes: O reino de Deus não vem com aparência exterior; nem dirão: Ei-lo aqui! ou: Ei-lo ali! pois o reino de Deus está dentro de vós.” (Lucas 17: 20-21) Noutras traduções, lê-se “A vinda do Reino de Deus não é observável. (…) poisContinuar lendo ““O imortal no mortal é o seu Nome” (Aurobindo)”

Consiliência

O físico e historiador Gerald Holton cunhou a expressão ENCANTAMENTO JÔNICO, que considera a unidade das ciências; uma convicção de que o mundo é ordenado e pode ser explicado por um pequeno número de leis naturais. Einstein tinha esse ‘encantamento’. A referência é aos chamados filósofos pré-socráticos que habitaram a Jônia, província grega na costaContinuar lendo “Consiliência”

Hilozoísmo

Entre os filósofos antigos costumava aparecer alguém que gostava de imaginar todas as coisas do mundo como sendo animadas, constatava Luciano de Crescenzo. Tales de Mileto, por exemplo, dizia que tudo está cheio de Deuses; Anaximandro acreditava que os elementos naturais eram divindades em contínua luta entre si; para Anaxímenes as pedras tinham alma; e,Continuar lendo “Hilozoísmo”

Alguns caminhos do saber

“Os velhos deuses estão mortos, ou estão morrendo, e em toda parte as pessoas perguntam: qual será a nova mitologia, a mitologia da terra unificada como um ser harmônico?” (Joseph Campbell) Os “hilozoístas”, pré-socráticos, acreditavam que toda a realidade – não só as espécies vivas – tinham ‘sensibilidade’; toda a matéria seria viva, animada porContinuar lendo “Alguns caminhos do saber”