Solidão, por Márcio Kazuo Teramoto

Cercado por uma multidão. Tempos estranhos, mesmo com uma centena de “amigos” virtuais ou não, a solidão se impõe. Triste sina, acesso as milhares de pessoas e não se consegue tempo para acessar o próprio interior. Talvez essa seja a causa. Esconde-se por trás de avatares e personagens criados para agradar os “amigos”. Esquece daContinuar lendo “Solidão, por Márcio Kazuo Teramoto”

Solidão

Viver só não é um ‘problema’ para quem se dá bem consigo, para os que têm uma riqueza interior que o contenta, como a gordura que nos mantém nos jejuns. O mundo que carregamos pode, ou não, gerenciar sua energia, ou somos satélites. Solidão é uma praga dos nossos tempos, apesar – ou talvez porContinuar lendo “Solidão”

A Solidão e Sua Porta

(Carlos Pena Filho – dedicado a Francisco Brennand) “Quando mais nada resistir que valhaa pena de viver e a dor de amarE quando nada mais interessar(nem o torpor do sono que se espalha)Quando pelo desuso da navalhaA barba livremente caminhare até Deus em silêncio se afastardeixando-te sozinho na batalha Arquitetar na sombra a despedidaDeste mundoContinuar lendo “A Solidão e Sua Porta”