“Mais quero asno que me leve, que cavalo que me derrube” (ditado popular)

Estamos chegando a uma dívida próxima a 100% do PIB, após os gastos para atenuar os efeitos da pandemia. O gasto público representava 11% do PIB em 1991; em 2019 chegou a 20%. Então, ou se aumenta a carga tributária ou a dívida. Aumentamos ambas. A dívida continuará crescendo nos próximos anos, e atingirá 110%Continuar lendo ““Mais quero asno que me leve, que cavalo que me derrube” (ditado popular)”

Quimeras

“Um País que não cresce, empresários estrangulados e cidadãos sem perspectiva. O cenário não poderia ser pior. Mas é. Fantasiada de reforma tributária, a proposta do governo federal que simplifica impostos coloca o peso da crise no ombro do contribuinte – que arcará com um novo imposto, na ordem dos 0,20%, por transações eletrônicas. RechaçadaContinuar lendo “Quimeras”