Queimando nosso futuro

Em cinco décadas (1970 a 2016), a vida selvagem encolheu 68%! É a sexta extinção em ritmo exponencial. Razões: degradação ambiental e ação humana. O homem dominará desertos? Não, a espécie pagará o preço. O declínio mais acentuado ocorreu na América Latina: 94%! O estudo, do Fundo Mundial para a Natureza (WWF), está aqui: (https://www.dw.com/pt-br/mundo-perdeu-68-dos-animais-selvagens-em-menos-de-50-anos-aponta-wwf/a-54881584)Continuar lendo “Queimando nosso futuro”

Um dos pioneiros do conservacionismo

Na Vila Mariana, em São Paulo, há uma rua com nome complicado: rua Alberto Loefgren. Poucos sabem de quem se trata – como aliás ocorre com a vasta maioria dos nomes de ruas em nossas cidades; só a cidade de São Paulo tem cerca de 50 mil logradouros. Mas, nessa época de devastação consentida deContinuar lendo “Um dos pioneiros do conservacionismo”

Calando-se o Inpe, acaba essa história de queimadas

O governo sabe das queimadas. Gostaria que a população – interna e externamente – não soubesse. Não posso dizer que sejam intencionais, nem que o governo as patrocine, ou estimule. A solução seria ter uma agência dócil, que só divulgasse o que o governo queira, a “verdade oficial”. A ideia está queimando os neurônios oficiais.Continuar lendo “Calando-se o Inpe, acaba essa história de queimadas”

Desmatamento zero

“O vice-presidente Hamilton Mourão está de olho na proposta da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, de adoção oficial de meta “desmatamento zero” na Amazônia. Ele é o presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal. A proposta foi defendida em 2019 pelo ex-ministro da Luís Fernando Cirne Lima na Frente Parlamentar da Agropecuária, quando a atualContinuar lendo “Desmatamento zero”