Bagunça e fracasso

O dirigente máximo do movimento “nós contra eles” costuma usar a bandeira nacional como símbolo de suas causas. Coitado do Auguste Comte, que criou o positivismo tentando dar um sentido a esse mundo controverso e que entusiasmou os “fundadores” (militares, principalmente) de nossa república. Ora, Comte imaginava que os problemas sociais e políticos de entãoContinuar lendo “Bagunça e fracasso”

Por um projeto civilizatório

“Os Conselheiros de Estado, antes de tomarem posse, prestarão juramento nas mãos do Imperador de ‘manter a Religião Católica Apostólica Romana’, observar a Constituição e às Leis, ser fiéis ao Imperador, aconselhá-lo segundo suas consciências, atendendo somente ao bem da Nação.” (artigo 141 da Constituição Política do Império do Brasil, de 1824) Manter a religiãoContinuar lendo “Por um projeto civilizatório”

Deu no que deu …

O Positivismo exerceu uma enorme influência neste país. Todos já desconfiam disso, a partir da divisa “Ordem e Progresso” na nossa bandeira. Este lema não foi colocado lá à toa. A filosofia positiva de Auguste Comte (1798-1857) diz que as ‘leis’ regem tudo. Tirem o foco das ‘causas’ dos fenômenos (Deus ou natureza); isso tantoContinuar lendo “Deu no que deu …”

Progresso. Um evangelho?

O progresso tecnocientífico, norteado pela razão e experimentação, e pautado pelo valor da eficiência, provoca diversos efeitos ambivalentes na sociedade e na biosfera advindos da relação de efeito mútuo existente entre as criações humanas – dentre elas a técnica – e a vida social e o meio ambiente. Como fazer o ‘progresso’ incluir a defesaContinuar lendo “Progresso. Um evangelho?”