“A marca que deixaste”

Poemas de IZUMI SHIKIBU (tradução de Luísa Freire) Se o cavalo dele tivesse sido domado pela minha mão – eu tê-lo-ia ensinado a não seguir mais ninguém.   Mesmo quando um rio de lágrimas atravessa e molha este corpo, não chega para apagar todo o fogo do amor.   Porque não terei pensado nisto jáContinuar lendo ““A marca que deixaste””