A escravidão, como vista por Espinosa

Espinosa entendia que todos os indivíduos são expressões singulares da potência absolutamente infinita da Natureza. Essa expressão precisa ser lida e relida; e entendida. Por isso, em cada indivíduo, seu direito é idêntico ao seu poder de exercê-lo, ou idêntico à sua potência de agir. Ele cunhou a frase “direito, ou seja, poder” (jus siveContinuar lendo “A escravidão, como vista por Espinosa”

Maquiavelicamente

Maquiavel (1469-1527) deixou muitas observações sobre a prática política, que permanecem atuais. Não era “antiético”, tinha sua própria “ética”, polêmica, pois prioriza a conservação do poder e o bem geral da comunidade, ao invés da “salvação da alma”. Dessa forma, uma atitude requer perspectiva histórica para poder ser qualificada de boa ou má. Não defendiaContinuar lendo “Maquiavelicamente”

Não é simples!

Novo livro de Cristina Zauhy e Humberto Mariotti: “A Complexidade da Vida – E suas ameaças pelo fascismo e outros autoritarismos”. Atualíssimo! É importante para os que não têm a mente embotada e compreendem que viver é um exercício de amadurecimento. O poder não é uma corda, bidirecional, que se pode puxar numa das pontasContinuar lendo “Não é simples!”

Medos e mentiras

Recuperei uma entrevista de Delfim Netto, de 2007, na qual fala sobre Lula: “Lula já rejeitava o marxismo em seu discurso de posse no Sindicato dos Metalúrgicos, em 1975. Ele disse literalmente que ‘parte da humanidade havia sido esmagada pelo Estado, escravizada pela ideologia marxista, tolhida nos seus mais comezinhos ideais de liberdade, limitada emContinuar lendo “Medos e mentiras”

“Os céus nos usam assim como nós usamos as tochas: não as acendemos para que se iluminem a si mesmas.”

“Breve é a vida, longa é a arte”, dizia Hipócrates (460-377 a.C.). A vida é um sopro – divino ou não – e se dissipa; a arte, criada pelo mortal, vence a morte e imortaliza seu criador. Shakespeare morreu em 1616, há 405 anos, aproximadamente 15 gerações atrás, mas sua obra está presente nos nossosContinuar lendo ““Os céus nos usam assim como nós usamos as tochas: não as acendemos para que se iluminem a si mesmas.””

O poder não corrompe, ele só evidencia e acentua nossa corrupção

Hoje, 04 de novembro, é o dia da Favela. Podem rir. O que alguns preferem chamar de ‘comunidades‘ é algo fantástico! Mostra toda a capacidade de adaptabilidade do pobre, desamparado totalmente dos ‘poderes’ públicos e das garantias constitucionais. Ao invés da atenção e proteção estatais, são discriminados, marginalizados, ignorados, evitados e, fábrica de detentos eContinuar lendo “O poder não corrompe, ele só evidencia e acentua nossa corrupção”

O poder que nos move

“O homem que tenta ser bom o tempo todo está fadado à ruína entre os inúmeros outros que não são bons”. Maquiavel, sendo maquiavélico. O poder tem seus encantos. Sentir-se poderoso é … embriagante. A ressaca se cura com mais poder. Mesmo os supostamente não empoderados têm suas esferas de poder, em âmbitos menores. AtéContinuar lendo “O poder que nos move”