Perpetuação da pobreza

O presidente, com seu olhar especial, só vê quem “aumentou um pouquinho de peso” em função das medidas de distanciamento mas, não vê a mortandade decorrente da pandemia, que aliás, diz que pode resolver esse “problema do vírus em poucos minutos”. Parece ignorar também que, segundo a Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e SegurançaContinuar lendo “Perpetuação da pobreza”

Excêntricos

“Havia Henri, que trabalhava nos esgotos. Era um sujeito alto e melancólico, de cabelos crespos, com certo ar romântico em sua longas botas de trabalho. A peculiaridade de Henri era não falar por dias a fio, exceto por motivos de trabalho. Havia apenas um ano, tinha um bom emprego de motorista e vinha guardando dinheiro.Continuar lendo “Excêntricos”

O ipê amarelo (texto de José Ortiz Monteiro)

“Há um ipê na frente de minha casa. Um ipê amarelo, plantado com minha mão. Nobre árvore, consagrada como símbolo da Pátria. Cada ano, no rigor de um rito, num relance de dias, ele floresce e se apaga, recamando o chão de flores de ouro. (…) Ontem, um homem estava sentado junto da árvore. EraContinuar lendo “O ipê amarelo (texto de José Ortiz Monteiro)”

Não fracassamos! Nunca acertamos!

Pelo padrão da FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação), uma pessoa pobre é definida como: “Uma pessoa que não possui renda para a garantia de uma refeição que disponha no mínimo 1750 calorias diárias está na extrema pobreza.” Já passei por isso. Tínhamos, frequentemente, que dividir um ovo para cinco membros daContinuar lendo “Não fracassamos! Nunca acertamos!”

“Outro dia, quando saí para tomar um pouco de ar perto da casa de Tom Paine …” (Bob Dylan)

Thomas Paine era britânico. Viveu entre 1737 e 1809. Participou de duas revoluções, a da Independência americana (é um dos Pais Fundadores dos Estados Unidos) e da Revolução Francesa. “Participar em duas revoluções é viver para algum propósito”, escreveu para Washington. Não era um revolucionário “radical”; só queria liberdade, paz universal, civilização e comércio. SuaContinuar lendo ““Outro dia, quando saí para tomar um pouco de ar perto da casa de Tom Paine …” (Bob Dylan)”

Tão sagrada parece a pobreza dormindo.

Joseph Roth foi enviado por um jornal alemão à Rússia, para relatar a transformação comunista, em 1926, nove anos após a revolução. Ele, como tantos intelectuais, era simpatizante da mudança social que o leninismo conduzira na grande Rússia. Lenin havia morrido em 1924; em 1921 implantou a NEP, a Nova Política Econômica, um afago aoContinuar lendo “Tão sagrada parece a pobreza dormindo.”

Uma visão mais ampla

A Organização Mundial do Trabalho prevê que as horas de trabalho globais no segundo trimestre de 2020 fiquem 10,5% abaixo dos níveis pré-crise, o que equivale à perda de mais de 300 milhões de empregos a tempo integral. E, pela primeira vez neste século, a pobreza global está subindo. A recessão global poderá reverter até três décadasContinuar lendo “Uma visão mais ampla”