Paulo Freire, patrono

O pernambucano Paulo Freire faria cem anos hoje. Os políticos no poder atualmente acham que seu trabalho é perigoso, como aliás vêem toda educação. E, de fato, a proposta de Freire era transformadora (quase escrevi ‘revolucionária’). Ele é o “patrono da educação brasileira”; recebeu 35 títulos de Doutor Honoris Causa, concedidos por universidades européias eContinuar lendo “Paulo Freire, patrono”

“A instrução é como a liberdade: ela não se dá, conquista-se” (Jacotot)

Joseph Jacotot era um pedagogo extravagante, do início do século XIX. No período pós-revolucionário, era aceito que a instrução seria um instrumento para a redução das desigualdades. O governo ficaria nas mãos da elite instruída, que se empenharia em desenvolver formas de instrução para os homens do povo, repassando os conhecimentos – só os necessáriosContinuar lendo ““A instrução é como a liberdade: ela não se dá, conquista-se” (Jacotot)”

Esperançar é ir atrás, é não desistir.

Amar quem temos, a pessoa com quem vivemos, não é comum. A maioria lamenta – sente-se “infeliz” – por não ter ao lado a pessoa que “nos falta”, por quem alguns se “apaixonam”. Outros não admitem “perder” o que têm, embora não haja amor nessa relação, só posse. Schopenhauer, que gostava de colocar água noContinuar lendo “Esperançar é ir atrás, é não desistir.”

Homeschooling: esse debate interessa a todos

Nada é mais presente do que a ausência sentida. Algo, também, pode estar ausente mesmo presente. Da mesma forma, ter não significa usufruir e, não ter não significa necessariamente falta. Esse devaneio é para chegar no tema Educação Domiciliar, ou homeschooling, conforme o referencial americano. Sempre defendi aqui o direito de pais poderem optar pelaContinuar lendo “Homeschooling: esse debate interessa a todos”