A coletânea da vida, por Enildo Luiz Gouveia

Quantos de nós já não fomos outros e outras? Lembro-me da disputa filosófica travada entre Heráclito e Parmênides, na Grécia Antiga. Heráclito, defensor do movimento constante, da guerra dos contrários, e Parmênides, defensor da permanência, da imutabilidade do ser. A grande questão era: algum fenômeno ou realidade pode ser a causa de si mesmo? OuContinuar lendo “A coletânea da vida, por Enildo Luiz Gouveia”

Sabemos mesmo?

Havia um seriado na TV, nos anos 50, que fez muito sucesso: Papai Sabe Tudo. O título original era mais apropriado: Father Knows Best. Vi algumas reprises nos anos 80. O fato é que, na minha visão, ninguém “sabe” nada, a rigor. O que julgamos saber é precário e provisório. É “sabido” que Sócrates afirmavaContinuar lendo “Sabemos mesmo?”

O inconsciente e seus efeitos sobre nossas atitudes

“Você já teve um sonho, Neo, que parecia ser verdadeiro? E se você não conseguisse acordar desse sonho? Como você saberia a diferença entre o mundo dos sonhos e o mundo real?” (Diálogo entre Morpheus e Neo, na trilogia do filme Matrix). António Damásio, no livro O Erro de Descartes, procurou destacar que a emoçãoContinuar lendo “O inconsciente e seus efeitos sobre nossas atitudes”

Uma existência não pode surgir de uma não-existência

Empédocles era poeta, médico, engenheiro, naturalista, reformador religioso e uma espécie de campeão da democracia: era filho de um político “fundador” da democracia em Agrigento, Sicília, e se envolveu nas lutas democráticas de sua cidade e, como prova da sua fé na democracia e respeito à igualdade cívica, recusou a coroa real que lhe ofereceram.Continuar lendo “Uma existência não pode surgir de uma não-existência”