Encontros com Jesus

Jesus ressuscitou. Sem isso, não haveria cristianismo. Cristo seria apenas mais um dos esquecidos “profetas” da sua época. Cleofas, seu tio (possivelmente irmão de José), foi um dos que o encontraram após a ressurreição. “Tu és o único forasteiro em Jerusalém que ignora os fatos que nela aconteceram nestes dias?” Assim perguntou Cleofas a Jesus,Continuar lendo “Encontros com Jesus”

Educação, cultura e sociologia

Aleksandr Luria (1902-1977), neurologista russo, via os pensamentos simbólico e narrativo como fundadores do processo de hominização. Oliver Sacks (1933-2015) era um de seus seguidores. Luria foi um dos criadores da psicologia cultural-histórica, que enfatiza o papel mediador da cultura, particularmente da linguagem, no desenvolvimento de funções mentais superiores. Criar narrativas, dizia, significou e significaContinuar lendo “Educação, cultura e sociologia”

Nosso cérebro é uma fábrica de ilusões

“De alguma forma, dentro de nossos cérebros, a atividade combinada de bilhões de neurônios, cada um deles uma minúscula máquina biológica, está dando origem a uma experiência consciente”, diz o neurocientista Anil Seth. Parece óbvia a afirmação acima. O problema está em definir “experiência consciente”. Os budistas, muito antes do filme Matrix, vêem afirmando queContinuar lendo “Nosso cérebro é uma fábrica de ilusões”

Quem me entende?

“Eduardo Loyo disse ver pressão altista sobre os juros internacionais, dado o estímulo fiscal sem precedentes nas economias desenvolvidas. Em relação ao Brasil, Loyo considerou que, diante do plano de normalização parcial da política monetária, a transparência adotada pelo BC em suas comunicações com o mercado leva investidores a interpretar as mensagens da autarquia comoContinuar lendo “Quem me entende?”