O turco mascate (de José Ortiz Monteiro)

“Adib Chammas, quieto ganhador de dinheiro, não falava. Tinha fábricas, o maior moinho de trigo do mundo, um banco e fazendas. Muitas fazendas. Já nem sabia quantas. Uma fazenda, contudo, sempre mereceu dele uma especial predileção. Ali, a porteira nunca fechava. As portas da casa sempre abertas. Assim, ele queria. Um dia, perguntei-lhe o motivoContinuar lendo “O turco mascate (de José Ortiz Monteiro)”