Devagar e nunca

Os acontecimentos são lentos, demorados; para, às vezes, acontecerem. Neste momento parecem imediatos, urgentes. A letargia é o tom. Ninguém se incomoda com o andar da carruagem, mesmo que afetem sua breve vivência, e a tornem insuportável e insípida. Trago aqui, uma fábula, escrita em 1944, por Millôr Fernandes, no ritmo de nossa história. ComoContinuar lendo “Devagar e nunca”