Galileu e a ciência

“A superstição é a realização dos espíritos fracos”, dizia Edmund Burke, no século 18. Esse era o pensamento de Galileu (1564-1642): “Eu acredito que a autoridade das Sagradas Escrituras tinha unicamente o objetivo de persuadir os homens sobre proposições e pontos de doutrina que, sendo necessários para a nossa salvação e se sobrepondo a todaContinuar lendo “Galileu e a ciência”

A felicidade, por Madame du Châtelet

Émilie du Châtelet (1706-1749) era uma cientista, aficionada por matemática e física. Foi educada num padrão diferente para uma menina da época. Aprendeu latim, grego, alemão, italiano e inglês e, música, dança, teatro, literatura e ciência. A tradução que fez do Principia Mathematica, de Newton, continua como padrão em francês: um volume de mais deContinuar lendo “A felicidade, por Madame du Châtelet”

O universo tende para o homem?

“Penso que a tarefa do século vindouro, perante a mais terrível ameaça já conhecida pela humanidade, vai ser a de reintegrar os deuses.” (André Malraux) Newton (1643-1727) acreditava que o universo seria uma imensa máquina composta por partículas materialmente inertes, submetidas a forças cegas. A partir de um pequeno conjunto de leis físicas, toda aContinuar lendo “O universo tende para o homem?”

“Você acredita num Deus que joga dados, e eu em lei e ordem absolutas” (Einstein, para Max Born)

“Ao mostrar que certos sistemas determinísticos têm limites formais de previsibilidade, Lorenz colocou o último prego no caixão do universo cartesiano e fomentou o que alguns chamaram de terceira revolução científica do século 20, no encalço da relatividade e da física quântica.” (Kerry Emanuel) Edward Lorenz foi, praticamente, o cientista que desenvolveu a “teoria doContinuar lendo ““Você acredita num Deus que joga dados, e eu em lei e ordem absolutas” (Einstein, para Max Born)”

A vida é sistêmica

Óbvio. Aparentemente, porque ainda predomina a concepção cartesiana, que consagrou a separação da ‘mente’ do corpo físico e, por extensão, da natureza. Fomos elevados a senhores da natureza. Uma coisa leva a outra: as ideias de Descartes levaram ao racionalismo, ao foco na subjetividade, à especialização … “Um especialista é alguém que sabe cada vezContinuar lendo “A vida é sistêmica”