Como o Brasil tornou-se reino

Dom João VI elevou o Brasil à condição de reino. Em 1815 deixamos de ser colônia. Isso foi chave para a nossa história. Mas, por que? Num livro de 1926, Paulo Setúbal, traz alguns elementos. Paulo era advogado, jornalista e escritor. Sim, o grande Olavo Egydio Setúbal era seu filho. Dom João estava gostando doContinuar lendo “Como o Brasil tornou-se reino”

A humanidade sempre expulsou seus “loucos”

“O inimigo deve ser feio, pois o belo é identificado com o bom. Uma das características fundamentais da beleza sempre foi aquilo que a Idade Média chamava de “integritas“, isto é, ter tudo o que é exigido para ser um representante médio daquela espécie. Os bárbaros, na Roma antiga, eram os que tinham, por exemplo,Continuar lendo “A humanidade sempre expulsou seus “loucos””

A história como farsa, ou tragédia?

Carlos Heitor Cony estava ameaçado de prisão, enquadrado na Lei de Segurança Nacional; a pena poderia chegar a trinta anos de cadeia. Ele havia escrito um texto que desagradara aos novos poderosos, ironizando a bravura dos militares. Felizmente, conseguiu os serviços de Nelson Hungria, que havia sido presidente do STF. Hungria pediu um habeas corpusContinuar lendo “A história como farsa, ou tragédia?”

De que os líderes são feitos

Napoleão Bonaparte foi um grande líder? Grandeza, aqui, entendida como uma característica individual. Não há consenso. Na opinião de Tolstoi, ele não foi um general excepcional como se diz. Foi levado à vitória pela coragem e dedicação dos soldados franceses que ganharam a Batalha de Borodino. Esta ocorreu durante a Campanha da Rússia, em 7Continuar lendo “De que os líderes são feitos”