A Guerra Oriental, ou da Criméia

“A única definição de macho alfa: se você tentar ser um macho alfa, nunca será um.” Aforismo de Nassim Taleb, a partir da sua leitura de Aristóteles (“Ética a Nicômaco”), para quem a pessoa “magnificente” considera a si mesmo como alguém digno de grandes coisas e, consciente de sua posição na vida, age de acordoContinuar lendo “A Guerra Oriental, ou da Criméia”

Napoleão III

Este imponente senhor da pintura, Charles-Louis Napoléon Bonaparte, era sobrinho de Napoleão Bonaparte. Victor Hugo o chamava de “Napoléon le petit“. Depois de muitas tentativas, viria a ser Napoleão III. Deveria ser estudado por todos os políticos. Quando Napoleão II morreu, em 1832, aos 21 anos – de tuberculose -, Luís Napoleão entendeu ser seuContinuar lendo “Napoleão III”

De que os líderes são feitos

Napoleão Bonaparte foi um grande líder? Grandeza, aqui, entendida como uma característica individual. Não há consenso. Na opinião de Tolstoi, ele não foi um general excepcional como se diz. Foi levado à vitória pela coragem e dedicação dos soldados franceses que ganharam a Batalha de Borodino. Esta ocorreu durante a Campanha da Rússia, em 7Continuar lendo “De que os líderes são feitos”

Observações sobre Solano López

Solano López era o dono do Paraguai. Ao assumir a presidência da República, disse à sua companheira, a irlandesa Elisa Alicia Lynch, que conhecera num baile dado no Palácio das Tulherias por Napoleão III: “Senhora, desde esta noite, o Paraguai sou eu!” Levava isso a sério: exercia despoticamente a coerção política, através de uma redeContinuar lendo “Observações sobre Solano López”