Existir

Contardo Calligaris morreu em março deste ano. Um dia antes da sua morte, numa conversa com Maria Homem, sua companheira, a pergunta séria: “O que vai ser de mim sem você?” Ele, consciente, olhou nos seus olhos e disse: “Vai ser o que você quiser”. Esse era seu princípio: crie sua vida! Quantos estão, nesteContinuar lendo “Existir”

Complexidade

“Não basta unir o saber (a ciência) à alma (à consciência); é preciso incorporá-la àquele; não basta regá-lo, é indispensável com ela tingi-lo.” (Montaigne) Em 1982, Edgar Morin publicou “Ciência com consciência”, que deu origem ao Paradigma da Complexidade, já exposto nos primeiros volumes de “O Método”. Defendia, já então, o desenvolvimento de uma ciênciaContinuar lendo “Complexidade”

A vida é preparação

“Para que cometer a loucura de chorar porque daqui a cem anos não viveremos, e por que não fazer o mesmo porque há cem anos não vivíamos?” Montaigne, com seu realismo. Para ele, “a contínua tarefa da nossa existência é levantar o edifício da morte”. Como Cícero, acreditava que filosofar nada mais é do queContinuar lendo “A vida é preparação”

“Crer em Deus é tomar os seus desejos pela realidade”

Farei três textos abordando a fé. Num, darei voz a um ateu, André Comte-Sponville; depois, um fervoroso cristão, Pascal; e, finalmente, um que procurou manter-se equidistante, Montaigne. Pronto, desagradarei a todos. Comecemos pelo ateu, Comte-Sponville. Ele é um filósofo materialista, mas não hedonista. Um argumento usual pelos ateus é que “a fé não dá respostas,Continuar lendo ““Crer em Deus é tomar os seus desejos pela realidade””

Diágoras, um ateu

Diágoras, foi um poeta e sofista grego do século V a.C. Era apelidado de “o ateu”. Acredita-se que ele tenha sido o primeiro a dizer que a religião foi criada pelos governantes para assustar as pessoas de modo a fazê-las seguir uma ordem moral.  Foi discípulo de Demócrito. Acabou expulso de Atenas, acusado de ImpiedadeContinuar lendo “Diágoras, um ateu”