Autobiografia precoce

Autobiografia De Mim Mesmo À Maneira De Mim Próprio “E lá vou eu de novo, sem freio nem paraquedas. Saiam da frente, ou debaixo que, se não estou radioativo, muito menos estou radiopassivo. Quando me sentei para escrever vinha tão cheio de ideias que só me saíam gêmeas, as palavras – reco-reco, tati-bitati, ronronar, coré-coré,Continuar lendo “Autobiografia precoce”

Devagar e nunca

Os acontecimentos são lentos, demorados; para, às vezes, acontecerem. Neste momento parecem imediatos, urgentes. A letargia é o tom. Ninguém se incomoda com o andar da carruagem, mesmo que afetem sua breve vivência, e a tornem insuportável e insípida. Trago aqui, uma fábula, escrita em 1944, por Millôr Fernandes, no ritmo de nossa história. ComoContinuar lendo “Devagar e nunca”