Um balanço do governo

O ‘plano’ de governo do presidente Jair Bolsonaro foi anunciado como autoritário, conservador, paladino no combate a corrupção e seus agentes (identificados como “a velha política”), foco na segurança pública, ultraneoliberal e pró-Estados Unidos. Na economia, o plano era personificado no Paulo Guedes, que tinha um programa audacioso: o “Projeto Fênix”, lembram? De todos osContinuar lendo “Um balanço do governo”

Calando-se o Inpe, acaba essa história de queimadas

O governo sabe das queimadas. Gostaria que a população – interna e externamente – não soubesse. Não posso dizer que sejam intencionais, nem que o governo as patrocine, ou estimule. A solução seria ter uma agência dócil, que só divulgasse o que o governo queira, a “verdade oficial”. A ideia está queimando os neurônios oficiais.Continuar lendo “Calando-se o Inpe, acaba essa história de queimadas”

Ideologia enche a barriga?

“É muito preocupante se você tem oficiais no governo brasileiro insultando o nosso maior cliente. Não é perfil ideológico. Nós temos o papel de fornecer alimentos para o mundo independentemente de cor, raça, credo ou preferência política do país”. (Paulo Sousa, presidente da Cargill no país) Não entendo essa atitude, que ao invés de trabalharContinuar lendo “Ideologia enche a barriga?”

Desastre planejado

Pensamos ‘desenvolvimento’, arraigadamente, pelo seu caráter economicista. O desenvolvimento como performance econômica. Conseguido, tudo viria a reboque. Entregamos o planejamento do entorno de nosso futuro a economistas, nos quais governantes se apoiam, emolduram e exibem. Lembro as últimas eleições presidenciais; o trunfo principal era o nome do economista que traria o ‘desenvolvimento’. A crise queContinuar lendo “Desastre planejado”

A natureza é o limite

“Diferentemente do passado, o homem terá de retornar à ideia de que sua existência é uma dádiva do Sol.” (Nicholas Georgescu-Roegen) Georgescu-Roegen. Volto a falar sobre ele. Alguém precisa falar sobre esse visionário. Numa época em que a força motriz, o discurso e os sonhos dos políticos eram centrados no crescimento econômico – desenfreado eContinuar lendo “A natureza é o limite”