Medos e mentiras

Recuperei uma entrevista de Delfim Netto, de 2007, na qual fala sobre Lula: “Lula já rejeitava o marxismo em seu discurso de posse no Sindicato dos Metalúrgicos, em 1975. Ele disse literalmente que ‘parte da humanidade havia sido esmagada pelo Estado, escravizada pela ideologia marxista, tolhida nos seus mais comezinhos ideais de liberdade, limitada emContinuar lendo “Medos e mentiras”

Em que tempo nós vivemos?

Vivemos todos no presente? Não, sabemos. O presente não é onipresente. Por mais que o presente esteja a nosso redor, cobrando nossa atenção e fruição, nossa cabeça está entulhada de pensamentos, ora nostálgicos, ora tristes. Alegrias saudosas, remorsos ou perdas incrustados. Quando não é o passado a nos alugar, é o futuro a nos convocar.Continuar lendo “Em que tempo nós vivemos?”