Ninguém estava ameaçando ninguém!

“Como um político nunca acredita no que diz, fica surpreso quando outros acreditam”. (Charles de Gaulle) George Kennan viu de tudo. Morreu em 2005, aos 101 anos. Ele foi o grande estrategista americano durante a Guerra Fria. Quando a II Guerra acabou, ele recomendou “uma política a longo prazo, paciente mas firme e vigilante, deContinuar lendo “Ninguém estava ameaçando ninguém!”

Temos que achar caminhos

Dinheiro atrai dinheiro. O caminho árduo para a transformação de uma ideia em um negócio ascendente passa pela capacidade de atração de recursos. Sem dinheiro, a melhor ideia pode morrer. A chance de um “empreendedor” sair de seu bem sucedido carrinho de lanches – imaginativos e saborosos – e escalar é rara. Por outro lado,Continuar lendo “Temos que achar caminhos”

Até onde ele iria?

Frank Ramsey morreu aos 26 anos de idade. Apesar da pouca experiência terrena, deixou marcas na economia, filosofia e matemática. Entre seus contemporâneos, era reconhecido como um gênio. No segundo ano de graduação, aos 18 anos, traduziu o “Tractatus Logico-Philosophicus“, de Wittgenstein, apesar do ceticismo geral de que o Tractatus fosse intraduzível para o inglês.Continuar lendo “Até onde ele iria?”

Competitividade

Vez em quando volto a esse assunto: as empresas brasileiras não se interessam por competitividade. Claro, há várias exceções, algumas até honrosas. Confundem competitividade com concorrência. Ora, um membro de um oligopólio vê o outro como concorrente, mesmo quando se entendem e se cartelizam. Competitiva é a empresa que adota o padrão mundial como referência,Continuar lendo “Competitividade”