A abstração a um passo da ficção

Será que físicos precisam de evidência empírica para confirmar suas teorias? Assim Marcelo Gleiser começa um capítulo (Ciência em Crise?) de seu novo livro. Acompanhamos que algumas áreas da ciência procuram se desobrigar da necessidade de “comprovar” seus enunciados – como provar o Big Bang, por exemplo. As hipóteses tendem a permanecer como conjeturas, nãoContinuar lendo “A abstração a um passo da ficção”

Última Thule

Ultima Thule é um termo usado para se referir às terras mais distantes do mundo conhecido. Na Idade Média, denotava qualquer lugar além das “bordas do mundo conhecido”. Na mitologia grega, seria a capital de Hyperborea, supostamente o berço dos arianos. A Última Thule pode ser uma alegoria para a direção da ciência no seu rumoContinuar lendo “Última Thule”

A ciência não é a verdade; a não-ciência é mentira

Karl Popper, embora luterano, era de origem judia. Saiu de sua Viena para escapar do nazismo. Na sua juventude, Viena era uma cidade multicultural, multirracial, cosmopolita, de efervescente criatividade literária e artística, espírito crítico e intensos debates intelectuais e políticos. Era a cidade mais culta e livre da Europa. Daí deve ter nascido sua ideiaContinuar lendo “A ciência não é a verdade; a não-ciência é mentira”