“A instrução é como a liberdade: ela não se dá, conquista-se” (Jacotot)

Joseph Jacotot era um pedagogo extravagante, do início do século XIX. No período pós-revolucionário, era aceito que a instrução seria um instrumento para a redução das desigualdades. O governo ficaria nas mãos da elite instruída, que se empenharia em desenvolver formas de instrução para os homens do povo, repassando os conhecimentos – só os necessáriosContinuar lendo ““A instrução é como a liberdade: ela não se dá, conquista-se” (Jacotot)”

Os poderosos e os bodes expiatórios

Jean de La Fontaine (1621-1695) escreveu a fábula “Os animais doentes da peste”. Esopo (620-564 a.C.) teria sido o primeiro a contá-la, sendo seguido por muitos outros, inclusive os nossos Justiniano José da Rocha (1812-1863) e Monteiro Lobato (1882-1948). La Fontaine procurou traçar um retrato da aristocracia francesa do antigo regime, ressaltando a crueldade dosContinuar lendo “Os poderosos e os bodes expiatórios”