O que Sherlock Holmes tem a nos dizer

Tomás Ryan, professor de Bioquímica e Imunologia, propõe que esquecer memórias ou coisas que aprendemos pode ser uma característica funcional do cérebro e, na verdade, uma forma adicional de aprendizado. “Criamos inúmeras memórias enquanto vivemos nossas vidas, mas muitas delas esquecemos. Por que? Contrariando a suposição geral de que as memórias simplesmente decaem com o tempo,Continuar lendo “O que Sherlock Holmes tem a nos dizer”

A arrogância do “saber estabelecido”

Em 1927, Freud ressaltava que o juízo que fazemos sobre a atividade humana é limitado por nossas perspectivas. Isso é devido, principalmente, por nos restringirmos a um ou a alguns campos do saber. E, desse ponto de vista especializado, encontramos “verdades” que queremos aplicar ao variado mundo social. Manifestações complexas não se explicam de formaContinuar lendo “A arrogância do “saber estabelecido””