Para quem trabalham os economistas?

Malthus (1766-1834) dizia que nada, nada, poderia ser feito para melhorar a situação dos pobres, pois a razão pela qual as classes trabalhadoras eram pobres não estava nos lucros excessivos, mas no fato de que a população aumenta mais depressa do que a subsistência. A morte (epidemias, pestes, pragas, guerras e fome) tinha um papelContinuar lendo “Para quem trabalham os economistas?”

A felicidade é oblíqua

“Na verdade, sempre acreditei que a felicidade é o teste de todas as regras de conduta, e o objetivo da vida. No entanto, hoje percebi que esse objetivo só seria alcançado se não fosse um fim direto. Só é feliz quem direciona esforços para alcançar objetivos que não sejam a própria felicidade; para a felicidadeContinuar lendo “A felicidade é oblíqua”