“O povo é uma prostituta que se vende a preço baixo.”

A crônica abaixo, de Rubem Alves é provocadora, polêmica. Ao desacreditar o povo como expressão da vontade da nação – portanto, da democracia – (por ser manipulável), pode alimentar argumentos caros a alguns: alguém tem que falar em seu lugar, um autocrata, talvez. No final ele se redime e diz ter esperança num povo capazContinuar lendo ““O povo é uma prostituta que se vende a preço baixo.””

“A certeza para as múltiplas situações e problemas da vida é realmente das coisas raras” (Malba Tahan)

Malba Tahan é o pseudônimo do escritor carioca Júlio César de Mello e Souza, também professor, matemático e engenheiro. Entre os seus 120 livros está o célebre “O homem que calculava”. O NATAL DO BOM CALIFA “A certeza, na vida – dizia um velho beduíno, meio filósofo, que conheci em Damasco -, é mais raraContinuar lendo ““A certeza para as múltiplas situações e problemas da vida é realmente das coisas raras” (Malba Tahan)”

O purgatório

Ainda há uma chance! O purgatório! “Purgatório … a maioria de nós, afinal, vai ter muita sorte se tiver que passar por lá antes de chegar ao céu, em vez de cair direto e para sempre no inferno. E para que ninguém se queixe de que Deus é ‘malvado’ por mandar as pessoas ao infernoContinuar lendo “O purgatório”

O Jesus pobre

Muitos já se perguntaram: por que Jesus nasceu entre os pobres, podendo escolher nascer num palácio? Em 2 Coríntios, 8-9, Paulo diz: “… por causa de vós se fez pobre, embora fosse rico, para vos enriquecer com a sua pobreza.“, na versão da Bíblia de Jerusalém. Na King James, a redação é ligeiramente modificada: “…Continuar lendo “O Jesus pobre”