A vida é preparação

“Para que cometer a loucura de chorar porque daqui a cem anos não viveremos, e por que não fazer o mesmo porque há cem anos não vivíamos?” Montaigne, com seu realismo. Para ele, “a contínua tarefa da nossa existência é levantar o edifício da morte”. Como Cícero, acreditava que filosofar nada mais é do queContinuar lendo “A vida é preparação”

“… colhe o dia, minimamente crédula no porvir”

Dylan Thomas, morreu em 1953, de alcoolismo, aos 39 anos. Um poeta! Não vás tão docilmente (1945) “Não vás tão docilmente nessa noite linda;Que a velhice arda e brade ao término do dia;Clama, clama contra o apagar da luz que finda. Embora o sábio entenda que a treva é bem-vindaQuando a palavra já perdeu todaContinuar lendo ““… colhe o dia, minimamente crédula no porvir””

“Nascemos para sofrer”

“Nascemos para sofrer” era o ‘zeitgeist‘ (espírito da época) da Idade Média. Com o Renascimento, passou a ser “Quem quiser ser alegre, que o seja“, seguindo o ‘Carpe diem‘, de Horácio. A Europa abriu os olhos, passou a ver alguma esperança na capacidade humana, que não só dependeria do humor divino. Erasmo de Roterdã, queContinuar lendo ““Nascemos para sofrer””