“Ciência sem consciência é apenas ruína da alma”. (Rabelais)

“É preciso dividir o tempo entre política e equações. Mas nossas equações são muito mais importantes para mim porque a política é para o presente, enquanto nossas equações são para a eternidade.” (Einstein) Descartes dizia que a técnica é o controle das forças da natureza. Mas, se a ciência e a técnica nos permitem controlarContinuar lendo ““Ciência sem consciência é apenas ruína da alma”. (Rabelais)”

“A verdadeira imagem do passado passa rapidamente” (Benjamin)

Walter Benjamin (1892-1940), como muitos à frente de seu tempo, só obteve fama após a morte. Um vida atormentada e sem reconhecimento, como Kafka. Só a posteridade os ergueria à fama. “Como tudo seria diferente se vencessem na vida aqueles que venceram na morte.” (Cícero) Para os que se antecipam, a “história se passa comoContinuar lendo ““A verdadeira imagem do passado passa rapidamente” (Benjamin)”

Além da “crise de gestão”, os governantes atuais praticam a “gestão por meio de crises”.

“Os homens normais não sabem que tudo é possível.” (David Rousset) Ah, se muitos lessem Hannah Arendt! As ideologias, que anulam personalidades e as substituem pelo coletivo, pelo mugido das multidões, talvez não encontrassem terreno fértil. Talvez, mas não é certo. Vejam o que ocorre neste momento de pandemia: evidências que pareciam inquestionáveis só fortaleceramContinuar lendo “Além da “crise de gestão”, os governantes atuais praticam a “gestão por meio de crises”.”

Autoritarismo

O que é ser de extrema direita? Talvez seja adotar uma política antissistema para os que não acreditam que o sistema possa de fato mudar. A ideia é que tudo permaneça com está, mas que dê ganhos maiores para os que se sentem deixados de lado. Não todos, claro. Só os merecedores. “Algo deve mudarContinuar lendo “Autoritarismo”

Nossos Eichmann’s

“Ó respeitáveis enganadores que troçais de mim!Donde brota a vossa política,Enquanto o mundo for governado por vós?Das punhaladas e do assassínio!(Charles de Coster, 1827-1879) Muitos conhecem o livro “Eichmann em Jerusalém” de Hannah Arendt, cujo subtítulo é “Um relato sobre a banalidade do mal“. Nele, Arendt classifica Adolf Eichmann, um carrasco nazista, como um serContinuar lendo “Nossos Eichmann’s”

Solidão

Viver só não é um ‘problema’ para quem se dá bem consigo, para os que têm uma riqueza interior que o contenta, como a gordura que nos mantém nos jejuns. O mundo que carregamos pode, ou não, gerenciar sua energia, ou somos satélites. Solidão é uma praga dos nossos tempos, apesar – ou talvez porContinuar lendo “Solidão”

A psicologia das massas, segundo Hitler

Sempre me perguntei se são as pessoas – indivíduos comuns – que fazem a história, ou se elas são meras captadoras e retransmissoras de energias que, de uma ou outra forma, fariam sentir sua força transformadora. Leio muito sobre Hitler, Lênin, Mao, Stalin e outros ‘transformadores’ da história; “parteiros da história”. Lênin, por exemplo, contrariandoContinuar lendo “A psicologia das massas, segundo Hitler”