Amigos

Amigos, tenho poucos. O bastante. Não confundo civilidade e humanidade com amizade. Conheço muitas pessoas – das quais logo esqueço os nomes -, mas amigos … sempre poucos e menos. Amizade requer uma carga de amor e desprendimento que, se excessiva, nos apaga. Os colegas no trabalho, os conhecidos por razões várias, os que eventualmenteContinuar lendo “Amigos”

Plantas, seu domínio

“Mesmo quando minhas mãos estão ocupadas em torturar, esganar, trucidar, o meu coração fecha os olhos e sinceramente chora.” (Chico Buarque e Ruy Guerra) Celestino era um capitão de navio negreiro, experimentado em viagens entre o continente africano e o Brasil. Matar negros era um ofício. De uma vez, com sacos de cal despejados noContinuar lendo “Plantas, seu domínio”

“… eles devem abrir caminho para nós, e não nós para eles”

Comentários de Goethe sobre seu encontro com Beethoven (julho de 1812) “… Vim a conhecer Beethoven em Teplitz. O seu talento assombrou-me; mas infelizmente a ele coube uma personalidade completamente destituída de autodomínio; ele pode não estar completamente errado ao julgar que o mundo é odioso, mas também é verdade que tal atitude não tornaContinuar lendo ““… eles devem abrir caminho para nós, e não nós para eles””

O criacionismo e a evolução

“… caso o mecanismo do relógio tivesse sido organizado de maneira diferente de como o vemos, com outras formas ajustadas umas às outras, ou numa ordem diversa, não teria sido animado por movimento algum e não teria servido para a finalidade que levou à sua realização. Surge espontaneamente o pensamento de que o relógio tenhaContinuar lendo “O criacionismo e a evolução”