Bruno, o perturbador

Segundo Lucrécio, a filosofia está “destinada a libertar o homem do medo da morte e dos deuses”. Poucos levaram isso tão a sério como Giordano Bruno. Giordano Bruno não se contentava com pouco; não era parcimonioso quanto às ideias. Sua vida representava “uma rejeição ousada de todas as crenças católicas, baseadas na mera autoridade”, disse Hegel.Continuar lendo “Bruno, o perturbador”

“Ser grande é ser incompreendido” (Emerson)

As ideias materialistas que nos regem são eternas? O que vemos é a realidade? A realidade é a verdade? “… o conhecimento das leis da natureza é ainda incompleto. Mas, quando uma vanguarda de sábios, avançando passo a passo nesse campo, ainda inexplorado, chegar a descobrir, um dia, algumas dessas leis, nós, então, acharemos muitoContinuar lendo ““Ser grande é ser incompreendido” (Emerson)”

O pensar diferente

A história de Giordano Bruno é bem conhecida: terminou na fogueira porque escreveu um livro que falava da pluralidade dos mundos e aventava a possibilidade de existir vida em outros planetas, entre outras heresias. Outros, que achavam que poderiam pensar diferentemente do permitido, são pouco conhecidos. Um deles é Miguel Servet, pensador espanhol que seContinuar lendo “O pensar diferente”

Os telescópios são as catedrais do nosso tempo?

“Ver um universo num grão de areia e um paraíso numa flor selvagem, segurar o infinito na palma da mão e a eternidade numa hora.” (William Blake) Algo infinito pode conter outra coisa infinita? Paradoxo? A sucessão dos números naturais 1, 2, 3,… nunca acaba; é infinita. Mas eles contêm dentro deles o conjunto dosContinuar lendo “Os telescópios são as catedrais do nosso tempo?”