“A Amazônia já era!”

Nos anos 70, a ditadura militar anunciava nas principais revistas da época que o “Inferno Verde” seria integrado. O inferno era a Amazônia. Para garantir a ‘segurança nacional’ – o mantra que tudo justificaria – a região precisava ser ocupada (antes, naturalmente, desmatada e seus ocupantes originais cederiam espaço aos novos desbravadores). Era necessário “protegerContinuar lendo ““A Amazônia já era!””

“Ninguém se torna explicitamente o que não é implicitamente”

Huberto Rohden (1893-1981) foi um educador, teólogo e pensador brasileiro. Defendia uma espiritualidade laica, ecumênica e universalista, o exercício contínuo do autoconhecimento e a autoeducação. Teve 65 livros publicados. Suas criticas ao eclesiasticismo e ao clericalismo foram repudiadas pela Igreja, o que o levou a abandonar o ministério sacerdotal em 1943. Deixou a Igreja católicaContinuar lendo ““Ninguém se torna explicitamente o que não é implicitamente””