Da inutilidade da infância (Rubem Alves)

O pai orgulhoso e sólido olha para o filho saudável e imagina o futuro. – Que é que você vai ser quando crescer?Pergunta inevitável, necessária, previdente, que ninguém questiona. – Ah! Quando eu crescer, acho que vou ser médico!A profissão não importa muito, desde que ela pertença ao rol dos rótulos respeitáveis que um paiContinuar lendo “Da inutilidade da infância (Rubem Alves)”