Hilozoísmo

Entre os filósofos antigos costumava aparecer alguém que gostava de imaginar todas as coisas do mundo como sendo animadas, constatava Luciano de Crescenzo. Tales de Mileto, por exemplo, dizia que tudo está cheio de Deuses; Anaximandro acreditava que os elementos naturais eram divindades em contínua luta entre si; para Anaxímenes as pedras tinham alma; e,Continuar lendo “Hilozoísmo”

Abandono emocional

“Ressentir-se significa atribuir ao outro a responsabilidade pelo que nos faz sofrer”, dizia Maria Rita Kehl, em 2004. O ressentimento é uma das ‘paixões tristes’, conforme Espinoza. A raiz da palavra “paixão” nos remete a páthos – a mesma origem de “patologia”. As paixões tristes, para Espinoza, são aquelas que diminuem a potência de agir do indivíduo.Continuar lendo “Abandono emocional”

“Deus, ou seja, a Natureza”

Para Espinoza, Deus não criou o mundo nem está fora do mundo: ele é o próprio universo. Por isso, dizia “Deus sive Natura” (Deus ou Natureza). Deus seria imanente, está inseparavelmente contido e implicado em toda a realidade. A ideia de um Deus raivoso, que precisava ser cultuado e agradado, seria uma superstição. Essa imagemContinuar lendo ““Deus, ou seja, a Natureza””