O coração que treme diante do sofrimento

OS OLHOS DOS POBRES (Charles Baudelaire) “Ah! Você quer saber por que eu a odeio hoje. Será, certamente, menos fácil para você compreender do que para mim, explicar; porque você é, creio, o mais belo exemplo da impermeabilidade feminina que se possa encontrar. Tínhamos passado juntos um longo dia que me parecera curto. Nós nosContinuar lendo “O coração que treme diante do sofrimento”

Colocar-se no lugar do outro?

Num de seus livros, Gabeira fala de um fato ocorrido quando estava exilado na Suécia, nos anos 1970. Diante de seu quarto, morava uma assistente social, Ana Marie. Voltava todos os dias desolada do trabalho. Seu trabalho consistia em assistência a alcoólatras e famílias em crise. Não é tarefa para qualquer um. Esses problemas sóContinuar lendo “Colocar-se no lugar do outro?”

O prazer do ódio

O ódio move, talvez tanto quanto a paixão. Como a paixão, sua materialização não sacia. Dia desses, li sobre uma mulher que largou sua vida e dedicou-se unicamente a buscar vingança, num relato de Drauzio Varella. Sua irmã de 15 anos foi estuprada e esfaqueada na região genital. A revolta a fez largar o emprego,Continuar lendo “O prazer do ódio”