“Com um movimento de recuo podemos perceber este mundo como um todo, dizem os aborígines australianos”

Philippe Descola é um antropólogo francês, agora professor no prestigiado Collège de France. Ele realizou um estudo etnográfico de 1976 a 1979 com o povo indígena Achuar, que vive na floresta amazônica entre o Peru e o Equador. Os Achuar fazem parte do grupo Jivaros, anteriormente conhecido como guerreiros e caçadores de cabeças. É comContinuar lendo ““Com um movimento de recuo podemos perceber este mundo como um todo, dizem os aborígines australianos””

A ausência de futuro já começou

(Günther Anders, 2007) Flannery O’Connor disse certa vez: “toda história tem começo, meio e fim, mas não necessariamente nessa ordem.” Costumamos nos perceber no meio de uma narrativa, com o fim à vista; o eterno “fim dos tempos”. O fim chegará, como um novo começo. Rupturas são inevitáveis, como mudanças de padrões. Perda de referenciaisContinuar lendo “A ausência de futuro já começou”