Determinismo ou liberdade?

Numa entrevista concedida a Betty Milan, Octavio Paz resigna-se ao determinismo: “… em cada ato humano há uma dose de determinismo, mas este não pode se realizar sem a liberdade, que, por sua vez, necessita do destino para se realizar. Podemos dizer que, se a liberdade é uma condição da necessidade, o inverso também éContinuar lendo “Determinismo ou liberdade?”

O criacionismo e a evolução

“… caso o mecanismo do relógio tivesse sido organizado de maneira diferente de como o vemos, com outras formas ajustadas umas às outras, ou numa ordem diversa, não teria sido animado por movimento algum e não teria servido para a finalidade que levou à sua realização. Surge espontaneamente o pensamento de que o relógio tenhaContinuar lendo “O criacionismo e a evolução”

Determinismo ou potencialidade

O homem é um organismo passivo, governado por estímulos fornecidos pelo ambiente externo. Ele pode ser manipulado, seu comportamento pode ser controlado, através de adequado controle de estímulos. Este é o pensamento de Burrhus Frederic Skinner, psicólogo behaviorista, comportamentalista. Livre arbítrio seria invencionice, ilusão; a ação humana depende das consequências de ações anteriores. O homemContinuar lendo “Determinismo ou potencialidade”

A vida é sistêmica

Óbvio. Aparentemente, porque ainda predomina a concepção cartesiana, que consagrou a separação da ‘mente’ do corpo físico e, por extensão, da natureza. Fomos elevados a senhores da natureza. Uma coisa leva a outra: as ideias de Descartes levaram ao racionalismo, ao foco na subjetividade, à especialização … “Um especialista é alguém que sabe cada vezContinuar lendo “A vida é sistêmica”