O cérebro pode chegar a uma explicação sobre si mesmo?

A ciência não tem verdades absolutas nem permanentes. Todas as teorias são provisórias. Acho que os cientistas já concordam com isso. A impermanência é a constante. A ciência parece ser vítima de seus sucessos e de suas limitações. Thomas Kuhn argumentava que as teorias científicas modernas não são mais verdadeiras do que as teorias queContinuar lendo “O cérebro pode chegar a uma explicação sobre si mesmo?”

O filósofo é um espião do ser

A consciência é a lembrança do Eu, ou o constitui? Fazendo uma analogia: quando observamos as partículas, elas se comportam como “partículas”; quando não estamos observando, agem como “ondas”. Uma multidão: se observamos, vemos pessoas. Se não, comporta-se como onda, manada. Segundo Mendo Henriques e Nazaré Barros, filósofos, “a consciência é muito diferente do Eu:Continuar lendo “O filósofo é um espião do ser”

Somos inteiramente mortais?

Ervin Laszlo é um filósofo da ciência, teórico de sistemas, estudioso da teoria do caos e pianista clássico húngaro. “Será que a nossa consciência – mente, alma ou espírito – termina com a morte de nosso corpo? Ou será que ela continua a existir, de alguma outra maneira, talvez em outro domínio ou outra dimensão doContinuar lendo “Somos inteiramente mortais?”

Filosofia de carne e osso

Insuficiente. O saber é sempre insuficiente. Que aprendamos pelo menos esta lição. Unamuno sabia disso. De certa forma, aceitava essa angústia: a busca do inalcançável, do inacessível ao conhecimento. Não era um qualquer. Era respeitado como um dos maiores intelectuais, da Espanha e do mundo. Tinha uma cultura enciclopédica e universal, conhecia profundamente os sistemasContinuar lendo “Filosofia de carne e osso”

Evolução

Abordei recentemente a visão de Evolução, conforme percebida por Teilhard de Chardin. Há muita similitude com a de Sri Aurobindo, embora os dois nunca tivessem se encontrado. “O emergir progressivo da consciência é a força motriz da existência do mundo terrestre. (…) parece não haver razão alguma para que a vida se elabore nos elementosContinuar lendo “Evolução”

Determinismo ou potencialidade

O homem é um organismo passivo, governado por estímulos fornecidos pelo ambiente externo. Ele pode ser manipulado, seu comportamento pode ser controlado, através de adequado controle de estímulos. Este é o pensamento de Burrhus Frederic Skinner, psicólogo behaviorista, comportamentalista. Livre arbítrio seria invencionice, ilusão; a ação humana depende das consequências de ações anteriores. O homemContinuar lendo “Determinismo ou potencialidade”