Os rinocerontes estão à solta

Em 1959, Eugène Ionesco (1909-1994) publicou a peça O Rinoceronte, um marco do Teatro do Absurdo, uma antecipação da realidade que vivemos. A peça trata de uma epidemia de “rinocerontismo” que ataca a cidade: de repente, as pessoas começam a virar rinocerontes. Bérenger, um personagem, se recusa a ceder à onda que acomete a todosContinuar lendo “Os rinocerontes estão à solta”