Sobre a mediocridade rasteira

“Até neste belo mundo há infelizes. Mas, que é afinal a infelicidade?”, perguntava-se Nietzsche, aos 15 anos. Anotou, também, que “infinita é a procura da verdade”, o que se tornaria sua inquietação por toda a vida, enquanto lúcido. Nessa busca, ele que poderia ter se tornado um pastor luterano, como o pai – trajetória interrompidaContinuar lendo “Sobre a mediocridade rasteira”

Histeria induzida por carisma

Líderes carismáticos podem provocar uma espécie de cegueira histérica numa comunidade, um sonambulismo social. Entenda carismático como aquele personagem que cria e alimenta simpatia para seu grupo de influência; que utiliza gestos e palavras que a maioria quer ver e ouvir, independentemente de verdades ou fatos. Diferentemente da concepção de Carl Gustav Jung, que chamavaContinuar lendo “Histeria induzida por carisma”

Despedida de Maturana

Escrevi ontem um post sobre o trabalho de Humberto Maturana: (https://wordpress.com/post/balaiocaotico.com/9799). Hoje, ele morreu, aos 92 anos. Não há causalidade nisso, por favor!; talvez sincronicidade, uma coincidência significativa, diria Jung. “Seres vivos são sistemas autopoiéticos moleculares, ou seja, sistemas moleculares que nós mesmos produzimos, e a realização dessa produção de nós mesmos como sistemas molecularesContinuar lendo “Despedida de Maturana”

O caminho é algo adaptável, móvel e flexível

Falando do Tao. A natureza do Tao é fluida, móvel e está em constante transformação. Aquele que se une ao Tao valoriza a fluidez, adapta-se às mudanças da vida, aceita o novo e desapega-se do passado. “Mas, como conseguir essa mobilidade, se estamos constantemente nos fixando, se às vezes nos prendemos ao conhecido mesmo queContinuar lendo “O caminho é algo adaptável, móvel e flexível”