O cão sem plumas (trecho)

(João Cabral de Melo Neto) A cidade é passada pelo riocomo uma ruaé passada por um cachorro;uma frutapor uma espada. O rio ora lembravaa língua mansa de um cãoora o ventre triste de um cão,ora o outro riode aquoso pano sujodos olhos de um cão. Aquele rioera como um cão sem plumas.Nada sabia da chuvaContinuar lendo “O cão sem plumas (trecho)”