Iludidos, porém certos!

“O problema, praticamente insolúvel, consiste em não se deixar imbecilizar nem pelo poder dos outros nem pela própria impotência.” (Theodor W. Adorno) Os “cidadãos de bem” que apoiam este governo já devem saber que Adorno era um crítico do fascismo e, portanto, podem parar a leitura por aqui, para não ficarem tentados a pensar. PensarContinuar lendo “Iludidos, porém certos!”

O tempo, por um poeta

Em 1922 começava a modernidade. Aqui, com a Semana de Arte Moderna. Na Europa, com o lançamento de Ulisses, de James Joyce e, com o poema Terra Devastada, de T. S. Eliot. Foi quando a linguagem se rebelou contra a tirania do tema e do personagem, e se tornou protagonista por mérito próprio, diz KevinContinuar lendo “O tempo, por um poeta”