A arrogância do “saber estabelecido”

Em 1927, Freud ressaltava que o juízo que fazemos sobre a atividade humana é limitado por nossas perspectivas. Isso é devido, principalmente, por nos restringirmos a um ou a alguns campos do saber. E, desse ponto de vista especializado, encontramos “verdades” que queremos aplicar ao variado mundo social. Manifestações complexas não se explicam de formaContinuar lendo “A arrogância do “saber estabelecido””

Determinismo ou potencialidade

O homem é um organismo passivo, governado por estímulos fornecidos pelo ambiente externo. Ele pode ser manipulado, seu comportamento pode ser controlado, através de adequado controle de estímulos. Este é o pensamento de Burrhus Frederic Skinner, psicólogo behaviorista, comportamentalista. Livre arbítrio seria invencionice, ilusão; a ação humana depende das consequências de ações anteriores. O homemContinuar lendo “Determinismo ou potencialidade”