A escravidão, como vista por Espinosa

Espinosa entendia que todos os indivíduos são expressões singulares da potência absolutamente infinita da Natureza. Essa expressão precisa ser lida e relida; e entendida. Por isso, em cada indivíduo, seu direito é idêntico ao seu poder de exercê-lo, ou idêntico à sua potência de agir. Ele cunhou a frase “direito, ou seja, poder” (jus siveContinuar lendo “A escravidão, como vista por Espinosa”

Nossa natureza é competitiva ou cooperativa?

Somos maus por natureza (ou pela quebra da confiança divina, a partir do pecado original) ou, nada disso, somos bons e podemos nos corromper em decorrência das agruras do mundo? Para John Locke, “O homem nasce como uma folha em branco, destituído de caracteres ou ideias.” Ele discordava de que Deus decida o destino dosContinuar lendo “Nossa natureza é competitiva ou cooperativa?”

Patriarcado

Gerda Lerner fugiu do nazismo em 1939, e radicou-se nos EUA. Aos 40 anos pôde iniciar sua educação superior, após criar os filhos, e obteve o Ph.D. na Universidade de Columbia. Virou referência no estudo da História da Mulher. Para ela, era importante distinguir sexo de gênero: sexo é biológico; gênero é uma definição culturalContinuar lendo “Patriarcado”