Genocídio indígena

O conceito de genocídio surgiu em 1944, a partir de um livro publicado por um jurista polonês, Raphael Lemkin. Ele se referia à técnica de ocupação nazista que destruía os alicerces essenciais de grupos nacionais ou étnicos, para aniquilá-los física e/ou culturalmente. Depois, Robert Jaulin, antropólogo, definiu mais especificamente o etnocídio. Ecocídio, que faz referênciaContinuar lendo “Genocídio indígena”

Pachamama

“Jamais a humanidade reuniu tanto poder a tanta desordem, a tantas preocupações e a tantas manipulações, a tantos conhecimentos e a tantas incertezas. A inquietude e a futilidade se justapõem em nossos dias.” (Paul Valéry, 1932) “É preciso se perguntar o que hoje atinge mais gravemente a alma dos homens: sua paixão cega pelo dinheiroContinuar lendo “Pachamama”

Queimando nosso futuro

Em cinco décadas (1970 a 2016), a vida selvagem encolheu 68%! É a sexta extinção em ritmo exponencial. Razões: degradação ambiental e ação humana. O homem dominará desertos? Não, a espécie pagará o preço. O declínio mais acentuado ocorreu na América Latina: 94%! O estudo, do Fundo Mundial para a Natureza (WWF), está aqui: (https://www.dw.com/pt-br/mundo-perdeu-68-dos-animais-selvagens-em-menos-de-50-anos-aponta-wwf/a-54881584)Continuar lendo “Queimando nosso futuro”

“…quantas Terras a gente precisa consumir até entender que está no caminho errado?”

“Demoramos muito tempo para perceber nossa identidade planetária … A história avançou pelo lado ruim. (Karl Marx) A ancestral e difícil luta pela sobrevivência foi se transformando em um louco esforço para se dominar a natureza. Louco, porque a parte não pode dominar o todo. A solução, de colocar o humano à parte (acima) daContinuar lendo ““…quantas Terras a gente precisa consumir até entender que está no caminho errado?””